04/09/2017

Cuntz - música esquisita, suja e feia


Se já sentiste a experiência de seres expulso dum bar por estares completamente embriagado e acabaste a noite desmaiado num beco escuro deitado em cima do teu próprio vómito, então esta é a banda para ti. São os Cuntz, uma banda formada em 2012 em Melbourne (Austrália) que toca um rock'n'roll doentio, recheado de humor negro e onde nos recorda uma infinidade de referências culturais australianas.





Com vocais que vão desde um monótono timbre até um uivo delirante apoiados em riffs de guitarra e sinistras linhas de baixo os Cuntz basicamente são o que acontece ao post-punk se bloquearmos todas as portas e janelas durante muito tempo até que ele grite o suficiente que as faça quebrar com os seus gritos.






Lançaram três álbuns de originais, o primeiro "Aloha" foi lançado no início de 2013, logo seguido de "Solid Mates" que saiu ainda nesse ano. Por fim, lançaram "Force The Zone" em 2015 e aguardo pacientemente por mais novidades deste quarteto.



Isto é punk rock brutal, não é feito para agradar aos punks de Vans e de cabelo cuidadosamente despenteado, é como se a música destes rapazes nos atingisse na cabeça como um tijolo pesado. É tão primitivo e violento como o mundo é neste momento, não que esta banda seja abertamente política, mas há um pouco de crítica social aqui e ali.
Apesar de tudo, toda a gente sabe se há país onde o punk sempre foi feito da forma correcta, esse país é a Austrália.





Este é um tipo de música esquisita, suja e feia ... isto tudo no bom sentido.
Se és apreciador de bandas dos anos 90 como os Venom P. Stinger, Tad e U-Men ou dos actuais Pissed Jeans e Nopes, então isto é para ti. Se te agrada músicas sobre cerveja, carne bovina, passear o cão, despejar o lixo e masturbação então passa pelos comentários deste post que não irás ficar decepcionado.