31/07/2014

The Wytches - heavy surf-psych from Brighton


Os The Wytches são uma banda de Brighton, Inglaterra criada em 2013 quando o vocalista/guitarrista Kristian Bell e o baterista Gianni Honey resolveram acabar com a sua anterior banda (os The Crooked Canes) e fazer um cartaz a recrutar um novo baixista. Acabaram por escolher Dan Rumsey e o primeiro concerto aconteceu numa "batalha de bandas" em que só tocaram duas músicas e terminou num caos completo, não se chegando a saber quem venceu a prova.



Foi com este formato de trio que começaram a gravar temas e após terem editado quase uma dezena de EP's / singles, do qual destaco o single "Digsaw", lançam agora o álbum de estreia intitulado "Annabel Dream Reader".


Neste álbum estamos perante um rock-psicadélico que me agrada bastante, onde a voz doce e melancólica do jovem Bell é bastantes vezes incendiada com a guitarra e baixo bem dark que nos faz catapultar para outra dimensão. Muitas vezes comparados com uns jovens Pixies no início da carreira, julgo que estes Wytches são uma banda bem mais dark que a banda de Frank Black alguma vez tenha sido.



As letras de Bell dão a entender que se trata dum jovem deprimido e isso nota-se bastante num dos meus  temas preferidos "Wire Frame Mattress" onde acaba por cantar "You sit there and laugh will my dignity collapses" fazendo com que fiquemos com a ideia que se trata de um último murmúrio antes de cometer alguma espécie de crime.


Estou ansioso para os ver ao vivo e em Setembro passarão por Portugal (Festival Reverence Valada), oportunidade essa que não posso deixar escapar.

30/07/2014

Ty Segall - provavelmente este será o melhor álbum do ano!


Ty Segall está de regresso com o seu novo álbum de originais, intitulado "Manipulator" que é uma autêntica pedrada nos ouvidos mais incautos.


Aqui temos 17 temas bem potentes, neste que é o seu sexto álbum em quatro anos, demonstrando que não existe outro artista mais prolífico do que Ty.




29/07/2014

7 anos / years / ans / anni / jahre


Parabéns a mim e a todos!!! O primeiro post foi colocado no blog há precisamente 7 anos!
Quando o criei a minha principal preocupação era encontrar pelo menos uma pessoa que adorasse estas bandas doentias, passado todo este tempo encontrei centenas.
Alguns tornaram-se verdadeiros amigos para a vida e é algo que nunca imaginei, nem sequer imaginei ser possível ter tantos visitantes do Brasil, Alemanha, Espanha, Itália, Estados Unidos da América, ...
A todos gostaria de expressar um muito obrigado e espero que se tenham divertido tanto como eu nestes anos.



Durante este último ano tive a felicidade de receber muitas prendas, desde os óculos usados por Captain Death dos Tracy Lee Summer (reparem no pormenor de estarem autografados nas lentes), aos álbuns de estreia dos amigos brasileiros The Snow Twins, dos hiper-simpáticos The Jack Shits, dos ruidosos Planeta Quadrado e do grande Nick Nicotine & His Mystical Orchestra (Nicotine's Orchestra).
A todos, o meu muito obrigado!!!

Não queria deixar de agradecer imenso a Sisley Waddington pelo trabalho e empenho na criação gráfica de todo este estaminé e sempre disponível para me acompanhar em todas as minhas loucuras.
Isto não é uma despedida, é apenas um marco, para o ano cá estaremos novamente (espero).
Abreijos!

26/07/2014

Parquet Courts - as novas estrelas do rock nova-iorquino


Os Parquet Courts são uma banda de Brooklyn, New York (USA) constituída por Andrew Savage (vocalista / guitarrista), Austin Brown (vocalista / guitarrista), Sean Yeaton (baixista) e Max Savage (baterista).



Para quem não se lembra, Andrew Savage fez parte do duo Fergus & Geronimo, famosos por juntarem o experimentalismo sónico com sintetizadores pop, por isso nota-se que estes Parquet Courts foram buscar essa influência mais indie e juntaram-lhe valentes doses de guitarras a rasgar e alguns pozinhos de punk-rock.



Lançaram uma cassete ("American Specialties") em 2011 que é considerada como o primeiro álbum e no ano seguinte editaram "Light Up Gold". Agora em 2014 editaram o terceiro álbum de originais, o fabuloso "Sunbathing Animal" que em determinados momentos me faz lembrar bastante o som feito pelos extintos Pavement.

 










25/07/2014

Dinos Boys - rock 'n' roll corajoso e cheio de escárnio



Os Dinos Boys são uma banda de Atlanta, Georgia (USA) formada pelo vocalista/guitarrista Danny Song que recrutou membros de bandas locais para o acompanhar neste novo projecto. Para o lugar de segundo guitarrista temos Chase Noles, o líder dos Heart Attacks, para baixista foi recrutar Mike Koechlin, membro de várias bandas da área (Predator, Frantic, Beat Beat Beat, ...) e para baterista começou por ter Matt McCalvin, mas que foi rapidamente substituído por Tyler Kinney das bandas hardcore Ralph e Manic.




Após terem lançado um single em 2013 com os temas "Play Dead + Scab", este ano lançaram o primeiro álbum intitulado "Last Ones". Desfilando 11 temas em menos de 20 minutos, temos um power-punk com laivos de hard-rock e pub-rock que não são mais que um aviso para o resto do mundo que o rock 'n' roll está vivo e em forma!



Já agora, Dinos é um acrónimo para - Despicable Ignorant Nasty Ole Shitstirrers. E de facto, são uma banda bem divertida, como todo o rock lá no fundo deveria ser.



21/07/2014

Catholic Spit - eclipse total na solarenga Ventura



Os Catholic Spit são uma banda da solarenga cidade de Ventura, na Califórnia (USA) formada a partir das cinzas de outra banda local, os Dogends. Liderados pela vocalista Ericka Garcia, os Catholic Spit fazem um som death-punk bem dark, fazendo lembrar os T.S.O.L. bem como toda a onda gótica do Reino Unido.



Após terem editado um single no final de 2012, em meados de 2013 editaram o seu único álbum. Intitulado "A Pact with the Devil" temos aqui um disco que claramente poderia ter sido editado no início dos anos 80, com temas como "Die Alone" ou "Inevitable Death" a serem autênticos hinos para jovens deprimidos.


Esta banda tem um grande potencial que espero seja aproveitado em outros lançamentos, é uma questão de estar atento ao bandcamp deles.



20/07/2014

Son Of a Gun - o projecto de Garrett Luczak


Os Son Of a Gun são uma banda de Chicago, Illinois (USA) que começou por ser um projecto a solo de Garrett Luczak (guitarrista/vocalista). Garrett compôs uma data de temas em casa e não se importou que estivessem ou não "no ponto ideal", simplesmente arranjou uma banda e foi tocar por aí.
Esta foi a fórmula que levou ao sucesso uma grande quantidade de artistas que admiro, como é o caso de Jay Reatard, Ty Segall, John Dwyer, Jeffrey Novak, ... e talvez seja a mais "verdadeira" forma de compôr música. Usando esta abordagem, Luczak foi admiravelmente prolífico e em apenas dois anos ele acumulou um verdadeiro tesouro no bandcamp da banda que inclui muitos EPs, splits com várias bandas, discos ao vivo, covers de várias bandas, etc.


O que vos trago aqui é uma colecção dos melhores trabalhos: começando por "Colors" e "EP", ambos gravados em 2013, seguido do split com os Gross Pointe ainda desse ano e concluindo com os dois últimos trabalhos "Take" e "Look So Good" de 2014.

 


Ao início, os temas apresentam um som garage-rock, daquele garage rock cru e imediato que podes beber cerveja de merda enquanto ouves os temas com menos de quatro acordes. Com o tempo começarás a aperceber-te que estás a percorrer uma trajetória ascendente na percepção que existe uma enorme qualidade na composição destes temas.


19/07/2014

Priests - ansiedade, paranóia e medo


Os Priests são uma banda de Washington, D.C. (USA) liderados por Katie Alice Greer, que também faz parte dos Chain and the Gang. Katie é acompanhada por G.L. Jaguar na guitarra, Taylor Mulitz no baixo e por Daniele Daniele na bateria.
Fazem um som post-punk, mas o que sobressai é a voz de Katie que nos transmite uma sensação de ansiedade, paranóia e medo que se torna extremamente viciante e faz-nos querer voltar atrás e ouvir de novo.


As bandas de Washington, D.C. sempre misturaram o caos e a melodia na perfeição e estes Priests continuam a seguir essa tradição.
Em 2012 editaram o EP "Radiation" que me despertou logo a atenção, mas é com "Bodies and Control and Money and Power" lançado este ano que fizeram com que os meus vizinhos os ouvissem mais frequentemente.

Uma banda ainda recente mas que promete vir a dar muito que falar, estejam atentos.



15/07/2014

Buck Biloxi and the Fucks - super-lo-fi-punk-rock


Buck Biloxi and the Fucks é uma banda de New Orleans, Louisiana (USA) que já existe há um bom par de anos, mas que só agora começa a ver o seu nome reconhecido. Fazem um punk-rock super lo-fi, fazendo-me recordar bastante os The Spits. Liderados por um tal de Robert Craig com quem tive o prazer de conversar via Facebook e que se revelou super simpático e extremamente espantado por serem conhecidos neste lado do Atlântico.


Após terem editado vários singles, dos quais destaco o fabuloso EP "Holodeck Survivor", só em 2013 é que editaram o primeiro álbum. Com uma capa a fazer lembrar o clássico "Leave Home" dos Ramones temos todos os clássicos desta banda.


Temas como "I Look Like Crap" ou "I'm A Disaster" já dão para ver que isto é punk-rock puro e duro, onde a guitarra cortante de Rob e a voz nasalada do mesmo fazem com que dance que nem um louco não ligando nenhuma para o que as outras pessoas acham, um real "who gives a fuck":


Rob tem um outro projecto em que assina como Giorgio Murderer e que participou orgulhosamente no álbum lançado por este blog no ínicio deste ano, quem não ouviu que passe por aqui.



09/07/2014

Nox Boys - new guitar band in town



Os Nox Boys são uma das mais recentes bandas de Pittsburgh, Pensilvânia (USA) e surgiram quando o veterano Bob Powers de 56 anos se juntou a Zack Keim de 17 anos.
Keim assumiu as vozes e guitarra, enquanto Powers ocupou-se da outra guitarra e resolveram recrutar Sam Berman (sobrinho de Powers) para baterista e Zach Stadtlander para ocupar o papel de baixista.



A banda começou a ganhar reputação no sub-mundo do garage-rock de Pittsburgh e captou a atenção de Michael Kastelic (vocalista dos Cynics) que tratou de convencer o seu parceiro Gregg Kostelich (um dos donos da Get Hip Records) a assegurar estes rapazes para a sua editora. Foi assim que em Janeiro saiu o disco de estreia produzido pela lenda-viva, Jim Diamond.


O som aqui presente é um garage-rock bem potente por momentos, mas sempre altamente recheado de melodias, na onda de uns Orwells, Broncho, Audacity ou Black Lips.


Passa pelo bandcamp da banda para ouvires o disco na íntegra e irritar os teus vizinhos com o som mais fresco a sair da cidade que nos trouxe os Swamp Rats ou os The Cynics.