13/04/2014

Bare Wires - power-pop de Oakland


Os Bare Wires foram uma banda de Oakland, California (USA) liderada por Matthew Melton. Fazem um power-pop com alguns pozinhos de lo-fi e acabaram em 2012 devido a uma conturbada tour (onde um membro da banda teve de ser hospitalizado) e a uma constante entrada e saída de membros.


Editaram quatro álbuns: "Artificial Clouds" em 2009, "Seeking Love" em 2010, "Cheap Perfume" em 2011 e "Idle Dreams" em 2012.


Melton depois acabaria por formar os Warm Soda, apesar de estes ainda não terem feito um álbum tão bom como o disco de estreia dos Bare Wires.


11/04/2014

Dead Moon - o documentário



Os Dead Moon  foram uma banda de Portland, Oregon (USA) formada em 1987 e que durou três décadas até se separarem em 2007, sem nunca irem em modas da época.
Liderados pelo casal Fred Cole (vocalista/guitarrista) e Toody Cole (baixista) acompanhados do baterista Andrew Loomis, foram uma das bandas mais marcantes do punk rock do final do século XX.
Aqui temos o documentário, lançado em 2006, que tenta retratar a história deste trio e que é ALTAMENTE recomendado para todos aqueles que se interessam pela temática do punk-rock americano.


10/04/2014

Ex-Cult - é possível superar um poderoso álbum de estreia!


Os Ex-Cult são uma banda de Memphis, Tennessee (USA) liderada por Chris Shaw (ex-vocalista da banda hardcore-punk Vile Nation) que impressionaram tanto Ty Segall na primeira vez que os viu ao vivo no SWSW de 2012 que os convenceu a irem para San Francisco gravar o primeiro álbum no famoso estúdio de Eric Bauer onde gravaram os Sic Alps, os Thee Oh Sees e praticamente todas as bandas que realmente interessam em San Francisco.
Nessa altura ainda eram conhecidos por Sex Cult, mas devido à ameaça de processos por parte de uma editora de New York com o mesmo nome, resolveram passar-se a chamar Ex-Cult.


O som que fazem é duma banda punk de Memphis que admira a onda de San Francisco, isto é, levam com a bagagem musical da sua cidade natal como é caso dos Oblivians, Reigning Sound, Jay Reatard, Elvis Presley e claro a onda soul da Stax (que está sempre implícita em tudo o que sai desta cidade) e juntam-lhe a aura psicadélica californiana de bandas como os Chocolate Watchband ou os Beau Brummels.
Esta mistura resulta em algo punk que faz lembrar o que era feito pelos Wire ou pelos Magazine.
Acabaram de editar o segundo álbum de originais, o fantástico "Midnight Passenger" que, para mim, supera o disco de estreia.



Produzido por Doug Easley que já tinha sido o responsável por um EP da banda, temos a banda ainda mais consistente neste novo álbum. Chego a ouvir uma bateria que às vezes soa a kraut-rock e um baixo de post-punk que parece que nos afoga nunca nos deixando vir à superfície respirar.
Podem escutar alguns temas deste álbum nesta aparição ao vivo:


Se o primeiro álbum foi ouvido até à exaustão pelos meus vizinhos, este novo disco não tem parado de rodar cá por casa. Sem dúvida, um dos melhores discos do ano!

09/04/2014

TRMRS - side-project de Anthony Perry dos The Growlers


Os TRMRS são uma banda de Los Angeles, California (USA), mais precisamente da zona de Costa Mesa liderados por Anthony Perry (baixista dos The Growlers).
O som é essencialmente um garage-rock cheio de guitarras psicadélicas e com linhas de baixo dançantes e representativo do som que sai daquela área do globo, como é o caso dos Night Beats (com quem chegaram a lançar um split EP), dos Audacity, dos Sic Alps, dos Growlers, de Ty Segall e dos Bass Drum of Death.


Editaram apenas dois álbuns, "Sea Things" em 2010 e o fabuloso "Surf Titties" que fez parte do meu video de best of 2011, se ainda não o viram, está na hora!


Para além destes álbuns, ainda lançaram um split EP com os Night Beats em 2012, e desde então nunca mais editaram qualquer obra. Espero que não tenha sido o fim desta banda agora que estava a crescer e a consolidar o seu som, mas tal facto só pode estar relacionado com a fama cada vez maior dos The Growlers e consequente pouca disponibilidade de Perry.


08/04/2014

"Um dia como vizinho de ..."

 

A rubrica "Um dia como vizinho de ..." revelou-se um enorme sucesso e é um orgulho apresentar todos os videos seleccionados por estes ENORMES colaboradores.
São mais de 150 vídeos destes ilustres convidados:

- Álvaro FS dos 1918;
- Ana "Lola" Moreira das Anarchicks;
- Beatriz "Conchita Consuela Coltrane" Rodrigues dos The Dirty Coal Train e Tiger Picnic;
- Danny Wild of Mary Goes Wild;
- Diogo Augusto dos The Jack Shits, Los Saguaros, Hell Hound e Grave Dancers;
- Drew Owen of Sick Thoughts;
- Fast Eddie Nelson;
- Johnny Intense dos The Act-Ups e dos Thee O.B.'s;
- Johnny Pinha dos Planeta Quadrado, Tower Of Song, The Sullens, Gasoleene, Carrocel Mágico, Buzzbug, Os Miseráveis, The Voice e A Lot Of Shit;
- Katari Anarchick das Anarchicks;
- Kolapso Paulolopesheleno dos Planeta Quadrado e Kolapso;
- Luan Machado dos The Snow Twins;
- Nick Nicotine dos The Act-Ups, Bro-X, Nick Nicotine & His Mystical Orchestra e The Jack Shits;
- um alentejano que ouve garage rock;
- Reverend Jesse Coltrane dos The Dirty Coal Train e Tiger Picnic;
- Samuel Silva dos The Jack Shits, Los Saguaros e Grave Dancers;
- Sisley Waddington dos Tracy Lee Summer, Singing Dears, Thee O.B.s e suplente de luxo nos The Jack Shits;
- Toni Lee Pierce Osterberg responsável pelo programa de rádio Sangue Eléctrico e membro da USA (União Sónica do Algarve);
- Tony Fetiche dos The Act-Ups e Bro-X;
- Victor Torpedo dos The Parkinsons, Subway Riders, Blood Safari, Tiguana Bibles, 77 e Tédio Boys;


07/04/2014

Epsilons - a primeira banda "a sério" de Ty Segall


Os Epsilons foram uma banda de Laguna Beach, California (USA) constituída por Ty Segall na guitarra e voz, Charles Moothart na outra guitarra, Roland Cosio na bateria e por Michael Anderson no baixo e teclados que viria posteriormente a ser substituído por Mikal Cronin.
Se és um fã de Ty Segall, seguramente já ouviste falar destes nomes. Charles Moothart já acompanha Ty há muitos anos, quer no seu projeto a solo, quer nos Fuzz. Roland Cosio faz parte dos Fuzz, juntamente com Ty e Charles. Mikal Cronin é o baixista da Ty Segall Band, para além de já ter criado os Charlie And The Moonhearts juntamente com Charles e Roland.


Lançaram apenas dois álbuns e em ambos já se notava o som que viria a caracterizar Ty Segall. Foi com esta banda que os meus vizinhos ouviram pela primeira vez a voz deste rapaz loiro e franzino de 17 anos que viria a tornar-se um dos mais prolíficos compositores do garage-rock actual. Estávamos em 2006 e os dois álbuns foram "Epsilons" e "Killed 'Em Deader 'N A Six Card Poker Hand".


Muitas vezes citada como a primeira banda de Ty Segall, o próprio já veio desmentir numa entrevista, dizendo que antes já tinha sido baterista duma banda "no wave" chamada Love This. Mas o seu primeiro papel como guitarrista e vocalista foi mesmo com estes Epsilons, onde começou a tocar com 17 anos e acabou com a banda quando tinha 19.
Fiquem com este excelente vídeo de um dos melhores temas que estes rapazes fizeram:


Se gostas dos primeiros álbuns a solo de Ty Segall, não irás ficar desapontado com estes dois registos.

04/04/2014

Protomartyr - post-punk como há muito tempo não ouvia



Os Protomartyr são uma banda de Detroit, Michigan (USA) formada em 2011.
Liderados pelo vocalista bonacheirão Joe Casey que ora canta, ora declama, ora conversa fazendo lembrar Mark E. Smith dos The Fall ou Chris Thomson dos The Monorchid, fazem um som post-punk que me despertou a atenção devido ao facto de conseguirem englobar várias influências de forma coesa e com sentido. Nota-se a influência dos seus conterrâneos MC5, mas também o som característico da fase final dos Black Flag.


Editaram dois EP's em 2012, "Dreads 85 84" e "Colpi Proibiti" que veio logo demonstrar que eram uma banda para durar.


Mas foi com o álbum de estreia, "No Passion All Technique" de 2012 que estes americanos receberam elogios de todas revistas especializadas e blogs por esse mundo fora. É um album que não se limita a focar a atenção em qualquer som; em vez disso, apresenta temas que se movem em todas as velocidades e ritmos de forma convincente.
Acabadinho de sair temos o novo álbum "Under Color of Official Right" que vem reforçar tudo o que já se notava nos anteriores trabalhos e é sem dúvida um álbum que figurará em muitas listas de melhores do ano.



01/04/2014

The Hunches - distorção em volume máximo



Reavivando o noise tradicional dos Velvet Underground e dos Jesus & Mary Chain como se as guitarras fossem atiradas ao chão com o volume no máximo, os The Hunches foram uma banda de Portland, Oregon (USA) responsáveis pela cacofonia energética do início do século XXI.
Liderados pelo vocalista Hart Gledhill, acompanhado pelo guitarrista Chris Gunn, pela baixista Sarah Epstein e pelo baterista Ben Spencer os The Hunches formaram-se em 2001 e terminaram em 2008.


Lançaram três albuns de originais: "Yes. No. Shut It." em 2002, "Hobo Sunrise" em 2004, "Exit Dreams" em 2008.


Em 2009, foi editado um álbum que reuniu algumas demos e gravações ao vivo chamado "Home Alone 5".


31/03/2014

The Fatals - talvez a banda mais barulhenta que já vi ao vivo


Os The Fatals foram uma banda de Toulouse, França que surgiu no início deste século (2002/2003) formada por Marco Fatal e Vince Posadzki nas guitarra e vozes, William Le Goff no baixo e Wladimir Malaga na bateria.
Influenciados pelos Oblivians, Reatards, Blacks, Evolutions, Superhelicopter e Scat Rag Boosters… foram talvez a banda mais barulhenta que alguma vez presenciei ao vivo aquando da passagem deles pelo Barreiro Rocks de 2006.
O facto de algum público debandar do local de espectáculos para o bar com os dedos nos tímpanos é a melhor imagem/descrição que consigo fazer do som destes gauleses.


Em 2005, Stef entrou para baterista da banda e Pierre Casteil para o baixo, mas isto já significava que banda se estava a desintegrar... algo que aconteceu de vez em 2007.
Editaram vários EP's entre 2003 e 2006:
  • "Angry" de 2003;
  • "Livin My Bed" de 2004;
  • "Slave My Soul" de 2004;
  • "Yeah Baby!!!" de 2005;
  • "Pathetic" - split com os Evolutions de 2005;
  • "Get Out My Life" de 2006.

 

Para além destes EP's ainda lançaram um 10 polegadas que se pode considerar como o único álbum da banda e uma compilação que reune os primeiros EP's.


Os meus vizinhos detestam quando coloco isto a rodar cá por casa e os vossos também vão "adorar".


30/03/2014

Scraper - San Fran's best kept punk rawk secret

 

Os Scraper são um trio de San Francico, California (USA) formados em 2012 e que acabaram de editar o seu álbum de estreia. Altamente influenciados pelos Flipper e Urinals, o som é caracterizado por uma guitarra lo-fi e uma bateria primitiva que evoca imagens de uma percussionista demente batendo em pedaços de carne.



Liderados pelo vocalista Billy T-shirt, os Scraper são a mais recente coqueluche do garage-punk californiano e em 2013 chegaram a ter um EP gravado por Ty Segall e por Eric Bauer que pode ser ouvido na totalidade no bandcamp da banda.
O que vos trago aqui é o álbum de estreia, lançado no final do ano passado e que é uma autêntica pedrada no charco psicadélico da cena californiana, trazendo de volta o punk lo-fi que há muito andava afastado daquelas paragens. Os temas aqui tratados são sobretudo sobre drogas, skates e carros, mas tudo descrito por uma mente atordoada e paranóica que faz com que tudo seja motivo de felicidade e diversão fazendo lembrar os Angry Samoans ou os The Spits.



Como curiosidade podem ver o video da sua primeira aparição ao vivo.