27/09/2014

Cat Nouveau - Radio Show



Este blog tem andado um pouco parado e a razão para isso acontecer é que fui convidado para apresentar um programa de rádio para a Radio Lux, poderão ouvir o meu show nos seguintes horários:

Todas as segundas-feiras   /  Every Monday

Portugal / UK :   18:00 / 6 PM
Europe :   19:00  / 7 PM
Los Angeles :  21:00 / 9 PM
New York / Montreal  :    13:00 / 1 PM
Brasil :  14:00 / 2 PM

Cat Nouveau um programa feito nos arredores de Lisboa para todo o mundo cibernético através da rádio online Radio Lux.
É o primeiro e único programa da estação totalmente falado em português e com rubricas dedicadas exclusivamente a bandas portuguesas.
Tenho total liberdade criativa, por isso preparem-se para ouvir rock'n'roll de garras afiadas!!

 

25/09/2014

Bass Drum of Death - será este o disco da consagração?



Os Bass Drum of Death estão de volta com um novo álbum após o magnífico disco do ano passado.
Chama-se "Rip This" e a banda de John Barrett / Colin Sneed não desilude a (cada vez mais) crescente falange de apoio deste duo do Mississippi.



Não existem muitas diferenças sonoras entre este novo álbum e o anterior o que só pode significar uma coisa, continuam no bom caminho, e se já eras fã da banda... não irás ficar desiludido com esta nova obra.



21/09/2014

Ausmuteants - a esperança do punk-rock australiano


Os Ausmuteants são uma banda de Geelong, Austrália e já há algum tempo que andava para publicar algo destes rapazes. Com o lançamento do novo álbum pela Goner Records surgiu a oportunidade. Não se enganem ... estes miúdos, apesar da sua juventude estão por trás de uma grande variedade de bandas, em número e qualidade para assustar qualquer um (Frowning Clouds, Living Eyes, Hierophant, Bonniwells) e agora são quatro, mas antes da gravação do primeiro álbum eram apenas Jake Robertson (guitarra e sintetizadores) e Billy Gardner (bateria). Com a adição de Marc Dean no baixo e Shaun Connor na outra guitarra tornaram-se numa das esperanças do punk-rock australiano.


Após terem lançado uma cassete em 2012 onde ainda só eram um duo, a banda editou o primeiro álbum em 2013 intitulado "Amusements" e este ano regressaram com "Order of Operation" para além de terem lançado vários EP's/singles.


Se no primeiro álbum se nota a influência do avant-punk de bandas como Chrome, Screamers ou mesmo dos Devo devido a ser um álbum com ritmos eletrónicos punk com uma cadência forte e ritmada, o qual foi produzido por Mkey Young dos Eddy Current Suppression Ring, neste novo disco temos um punk-rock puro e duro e se não gostares deste novo disco é porque nunca mais irás gostar desta banda.



Mesmo aquelas pessoas que não suportaram a desbunda juvenil do primeiro álbum devem ouvir este novo disco que é simplesmente fantástico. O humor escatológico foi despejado, a banda ficou desagradável e adulta e temas sobre outros problemas pessoais começaram a vir ao de cima, afinal não é isso que caracteriza o processo de crescimento de um indivíduo?



20/09/2014

The Milkshakes - o génio de Billy Childish



Ter um blog dedicado em grande parte ao garage-rock revival e não ter nada de Billy Childish é uma falha enorme, mas na minha opinião julgo que a maioria dos visitantes deste estaminé já conhecem grande parte das bandas que este inglês de quase 60 anos já passou, por isso nunca achei muito importante ter post's dedicados a este génio.
Falar de Billy Childish é essencialmente falar de um Artista em sentido mais lato, já que para além da música é uma figura de culto na poesia, pintura, literatura, cinema, fotografia, etc. Como curiosidade, uma das primeiras fotografias que se conhece de Childish foi tirada em 1977 num concerto dos Sex Pistols quando este ainda era um jovem completamente desconhecido.
Após ter criado os Pop Rivets no final dos anos 70, que duraram pouco tempo (uma característica de todas as bandas criadas por Childish), em 1981 formou os The Milkshakes e é esta a banda que vos trago aqui.


Trago-vos aqui o álbum de covers "20 Rock And Roll Hits Of The 50's And 60's" que foi editado em 1984 e a compilação "19th Nervous Shakedown" que saiu em 1990 para que possam conhecer a obra deste artista.

Aposto que irão a correr à procura de tudo o que este génio já lançou e preparem-se que irão encontrar muita, mas muita coisa.


08/09/2014

New Swears - festa e diversão é no Canadá


Os New Swears são uma banda de Ottawa, Ontario (Canadá) que tem a fama de dar os concertos mais caóticos da actualidade por aquelas bandas.


Estamos na presença de um rock juvenil na onda dos FIDLAR, The Nils ou até de uns Black Lips em fase mais "infantil". Se o rock'n'roll é sinónimo de diversão e descomprometimento, então aqui estamos na presença do seu melhor exemplo.
Apresentaram-se ao mundo em 2012 com um split com os Swollen Eyes e no ano seguinte editaram o primeiro álbum de originais com o curioso título "Funny isn't Real".

O que eu gosto mais nesta banda é que mistura vários ritmos entre os temas, o que faz com que seja um som novo e excitante, nunca maçador.


Existem tantas bandas que fazem este tipo de música em que mantêm o pedal no fundo durante o álbum inteiro, e isso pode tornar-se aborrecido ao fim de 3 ou 4 temas, mas os New Swears conseguiram equilibrar bem os tempos.


No mês passado lançaram o segundo álbum de originais, passem pelo bandcamp da banda para ouvirem/comprarem.


04/09/2014

Fat White Family - really good to play while getting high and having sex



Se assistiram às cerimónias fúnebres de Margaret Thatcher em Brixton, Londres (Inglaterra) devem ter reparado numa bandeira estampada com as palavras "The Bitch Is Dead". As pessoas que a erguiam eram os membros de uma banda, mais concretamente, os Fat White Family.
De acordo com seu comunicado de imprensa, "apesar dos incidentes inevitáveis ​​do caos, sangue, nudez e bizarro que têm assolado os primeiros anos de existência, eles ainda são a banda que toda a gente quer ver ao vivo".




Formados com a missão de libertar Londres de yuppies e de bares para gente endinheirada, algo que já outros tentaram, são uma banda de seis membros (Lias, Saul, Nathan, Martin, Joe e Adam) que fazem um indie-rock na onda de uns Birthday Party ou The Fall.



Lançaram apenas um álbum, o enigmático "Champagne Holocaust" de 2013 e este ano surgiram com o single "Touch the Leather" que tem levantado celeuma devido ao seu videoclip.


Este mundo de loucura do qual fazem parte nota-se nos temas que cantam, como se uma autêntica tempestade de problemas girasse em torno deles. Se os contemporâneos Sleaford Mods encontram humor e raiva no estado mais amplo das coisas, os Fat White Family são tão propensos a transformar tudo para dentro e examinar suas próprias falhas, com videos bem doentios e dementes.



A juventude londrina está perdida, mais uma vez. E isso é óptimo para a música!!



03/09/2014

The Gut Reactions - a semente dos Static Eyes


Os The Gut Reactions foram uma banda de Milwaukee, Wisconsin (USA). Surgiram em 2007 e terminaram em 2010, já que viriam a dar lugar a outra banda bem interessante (os Static Eyes).
Lançaram um par de singles e um álbum em formato cassete (limitado a 25 cópias e que foi unicamente vendido no último concerto da banda), e todos os registos que lera é que era uma grande bomba, mas nunca o tinha escutado.
Esta curiosidade foi crescendo e este ano a banda resolveu disponibilizar o álbum em versão digital.


Estamos perante um garage-punk furioso que me deliciou desde a primeira audição, onde todos os temas não ultrapassam nunca a marca dos dois minutos. Existe muito pouca informação acerca deles, já que agora só se fala nos Static Eyes, mas não irás ficar desiludido.




02/09/2014

The Dirty Coal Train - for fans only



Após ter falado aqui dos Dirty Coal Train, regresso com um post que irá deliciar os fãs da banda.
Temos autênticas raridades, desde covers dos americanos Half Japanese e Beach Boys, dos portugueses Steamers (banda dos anos 60) e até do clássico "Demolicion" dos peruanos Los Saicos.


Para além destas covers, temos "Drool" que consta no segundo álbum de originais "Dirty Shake" saído este ano, mas desta vez em versão acústica. Algo que a banda promete nunca mais repetir.
Temos também alguns temas inéditos e ainda alguns ensaios com Luis Franjas dos Steamers.
Para encerrar com a cereja no topo do bolo, temos ainda a gravação do concerto dado no Sabotage Club em 24 de abril deste ano, quando abriram para os Parkinsons.


Se não conheces a banda, esta não é a melhor maneira para os ficares a conhecer, mas se fores um fã de uma das melhores bandas do rock português da actualidade... não deixes escapar esta colecção de raridades.


01/09/2014

Plague Vendor - no-bullshit sprints from start to finish



Os Plague Vendor são uma banda de Whittier, California (USA) constituída por Brandon Blaine como vocalista, Jay Rogers na guitarra, Michael Perez no baixo e por Luke Perine na bateria.
Acabaram de editar o álbum de estreia pela Epitaph o que me deixou de pé atrás, mas após as primeiras audições... cativou-me.


Temos um hardcore punk bem acelerado onde a grande atracção se centra em Blaine e na sua voz que corta a direito que nem uma locomotiva descontrolada, como dá para ver por esta intro que os meus vizinhos simplesmente detestam:


O álbum de estreia foi lançado no início deste ano com o curioso nome de "Free to Eat" e os três parceiros de crime que acompanham Blaine (um autêntico contorcionista), provocam um ciclone de post-punk onde o baixo está sempre bem presente em todos os temas. 


O álbum é tocado de forma tão rápida e agressiva, que nem dá tempo para pensar duas vezes sobre ele. São dez temas em menos de 20 minutos e os Plague Vendor têm o potencial de abalar a cena punk, por isso apertem os cintos, vai ser uma viagem atribulada e rápida.



24/08/2014

Demonhigh - garage-rock galego


Os Demonhigh são uma banda galega, mais concretamente de Vigo, Espanha formada a partir das cinzas dos Fuzzipopes & the Devil´s Carpet.
Para além de deixarem de cantar em inglês, como na anterior banda, e passarem a exprimir-se em castelhano, esta banda faz um som mais garage-rock que me agrada bastante mais.


Editaram o seu álbum de estreia ("Corazón Ardiente") no passado mês de Março e aqui temos dez temas de puro garage-rock cantado em castelhano fazendo recordar os seus conterrâneos Mujeres e Novedades Carminha.


Começaram por seu um duo constituído por Senra (guitarra e voz) e por Docampo (bateria), ao qual se juntou mais tarde o guitarrista Mauri para dar um som mais intenso à banda.
O resultado é um cocktail de influências desde o garage lo-fi dos Black Lips e Jacuzzi Boys... até ao movimento sul-americano dos anos 60 dos Los Saicos e a cena garage actual cantada em castelhano, como é o caso, dos Davila 666 e dos Los Explosivos.


Um grande álbum, sem dúvida, e uma banda a ter em muita atenção, por isso é aconselhável que passem regularmente pelo seu bandcamp.